Contacte-nos: 254 550 020

Feira Aquiliniana: uma viagem ao tempo de Aquilino Ribeiro, recriada pela ESPROSER

A Feira Aquiliana proporcionou uma viagem pelo tempo de Aquilino Ribeiro, em plena Lapa, a terra onde o escritor estudou e que o marcou para a vida.

Numa paisagem dominada pela imponência granítica da Igreja e Colégio, pelo casario e ruelas de uma aldeia desenhada pelo engenho dos Jesuítas, a Lapa, Aldeia de Portugal, recuou ao século XIX e, por ação da Escola Profissional de Sernancelhe, vimos aguadeiras, engraxadores, vendedeiras de ovos, de galinhas, jogadores na taberna e muitos outros ofícios que marcavam as romarias do tempo do mestre Aquilino Ribeiro. A festa das romarias de antanho também foi recriada pelas concertinas e pelos ranchos, pela peixeira e pelo cauteleiro, sem esquecer as "marias malucas" que alegram o terreiro com as suas tiradas sempre originais.

Nesta atividade estiveram envolvidos os formandos das turmas de Saúde 5, Informática 9, Restaurante Bar 6/ Eletricidade 5, Informática 8/ Restaurante Bar 6 e Saúde 4 da Escola Profissional de Sernancelhe, bem como os respetivos formadores de Português e Orientadores Educativos de Turma.

Ao longo dos dois dias, foi feita a dramatização de pequenos diálogos representativos dos muitos ofícios - lavadeira, aguadeira, barbeiro, engraxador, vendadeira de figos, leiteira, padre, ama, vendedeira de legumes, entre outros - que marcaram a época de Aquilino Ribeiro, proporcionando assim momentos lúdicos para quem visitou este certame, nomeadamente com os trajes que envergavam.

Para além da dramatização dos ofícios do século XIX, os formandos das turmas de Restaurante/Bar 5 e Restaurante/Bar 6 prestigiaram os presentes com a confeção e o respetivo serviço de mesa de iguarias e pratos tradicionais da época aquiliniana.

O formando Rui Silva, da turma de Saúde 3, representou a figura de Aquilino Ribeiro, fazendo alusão aos seus momentos de escrita.

Alguns formandos da turma de Saúde 4, Informática 8 e Informática 9 propiciaram momentos de diversão ao representarem o jogo da corda, o jogo da malha e o jogo do burro, atraindo assim os visitantes a reviverem a sua meninice.

Após uma reflexão crítica, concluímos que esta atividade foi, uma vez mais, bastante gratificante e enriquecedora, quer pelo convívio quer pelas atividades dinamizadas. Resta-nos acrescentar apenas que a disponibilidade dos formandos, a sua boa vontade e colaboração trouxeram a esta recriação histórica outro brilho. A eles o nosso sincero agradecimento.